Férias 2010 – Historia 4 : Lyon parte 3

 

Opa, bao ?

 

entao, continuamos em Lyon. Dia 02/06 eu defendi meu mestrado em cinema, e passei com uma bela nota 🙂 ehehehe

dai de noite fiz um jantar pra comemorar (Fernanda e Du estavam aqui). Fiz uma coisa que adoro : Peito de Pato (nao comprei Magret, que é o peito mais gorduroso, pq Magret é o nome dado ao peito do pato que serviu pra fazer fois gras, e como nao sou fã da maneira como se faz fois gras, comprei o peito, e bio ainda hehehe). Pra acompanhar fiz uma coisa bem tipica aqui da nossa regiao : gratin dauphinois (um gratinado de batata).

Vamos a receita (fiz pra 5 pessoas, mas a quantidade é variavel, e eu nao me importo muito com essas coisas de pesos e medidas hehehehe)

pro peito :

– peito de pato

– vinho tinto (use um bom, mas nao tao bom assim heheehe pq os melhores a gente guarda pra beber, e nao cozinhar hehehe)

– basilico (manjericao)

– mel

– vinagre de jerez

– sal e pimenta (usei pimenta branca)

 

pro gratin :

– batatas (usei umas oito), descascadas e cortadas em rodelas finas (pode cortar naquela roda do processador mesmo, o negocio é que elas fiquem mais ou menos iguais, para cozinhar igualmente)

– creme de leite fresco (usei uns 400ml)

– manteiga, sempre 🙂

– um dente de alho (nao gosto desse gratin muito « alhudo », entao uso so um, que na verdade nao da nem um direito)

– sal, pimenta (usei branca de novo)

– noz moscada

 

Preparo :

Faça o gratin primeiro, por que dai você ganha tempo. Em um refratario, besunte o fundo com manteiga (esfregue um bom pedaço de manteiga no fundo e nas bordas do refratario). Dai, como nao gosto do gratin muito « alhudo », que que eu faço ? pego um dente de alho, faço uns cortes superficiais e esfrego (nao muito) no fundo e na borda (que nem a manteiga) do refratario (vai parecer que o alho esta inteiro ainda, nao tem problema). Por que dai fico so com o aroma (e um cadin so do gosto) do alho. Faça uma camada com as batatas (cruas hein ! nao cozinhe as batatas antes nao !!!), coloque sal, pimenta e um cadin de noz moscada (« muita hora nessa calma » hehehe coloque so um pouquinho de noz moscada, pq se nao ela toma todo o gosto pra ela)…faça mais uma camada de batatas, sal, pimenta e noz moscada….e mais uma camada, igual (acho que 3 ja da todo o pirex, e toda a batata)… coloque o creme, a dica é nao colocar creme até a borda… é so até cobrir de leve as batatas, mas que ainda dê pra ve-las. Num forno pré-aquecido (180°), asse o gratin até que as batatas fiquem cozidas, mas nao moles… uns 40, ou 60 minutos…nao se preocupe, nao vai queimar, nao precisa cobrir com papel aluminio, nem nada…

 

quando o gratin estiver quase pronto faça o pato :

na parte da gordura faça uns 2 ou 3 cortes (dependendo do tamanho do peito)… pode chegar na carne, mas so de leve. Esses cortes vao ajudar a « escorrer » a gordura, a cozinhar melhor a carne e ficar bonito :). Em uma frigideira bem quente (sem oleo, nem azeite, nem nada) coloque o peito do pato com a parte da gordura virada pra figireira. Deixe « fritanto » por une 10 ou 15 minutos, isso depende… vire o pato, e deixe por uns 5 minutos na parte da carne…a carne vai ficar meio « amarronzada », tire da frigideira e coloque num tabuleiro e leve ao forno (o gratin ja vai estar pronto, tire o gratin do forno e coloque o pato la)… eu gosto de finalizar o pato no forno, pq dai controlo o ponto dele… uns 5 minutos no forno vai « acalmar » o suco da carne, e vai deixa-lo no ponto perfeito (bem rosa por dentro, e quando a gente corta, sai aquele sanguinho hehehe)… se quiser mais bem passado deixe mais uns 5 minutos (pato bem passado é bem duro, eu nao gosto muito nao).

Na frigideira, ainda com a gordurinha do pato (tire o excesso se quiser), coloque o vinho (uns 200 ml, nao mais), e deixe reduzir um pouco… coloque o vinagre de jerez (uns 50ml), e deixe reduzir… o mel (uns 50g, ou até menos), e as ervas… deixe reduzir, quando estiver na metade da quantidade inicial de liquidos, coloque sal e pimenta… se vc tiver uns figos frescos ai, pode coloca-los agora, para que nao cozinhem tanto, mas que peguem o gosto do molho, hummmmmmm nao fiz com figos, porque nossa colocataria nao gosta hehehe

 

Voilà, sirva os dois o :

Nao deu tempo nem de decorar direito hehehehe coloque o molho por cima, se ele ficar bem liquido, ele vai escorrer, que nem ai na foto 🙂

 

comemos esse prato acompanhado de um châteauneuf-du-pape (uma das apelaçoes controladas mais conhecidas, e apreciadas na França, uma garrafa no Brasil custa de 120 à 300 reais, mas como comprei em uma feira aqui, paguei 20 euros em um vinho excepcional hehehe), ok ok ok, nao é o acompanhamento ideial (esse vinho vai bem com assados de carne de boi, caneiro e até porco), mas e dai ? hehehe era momento de festejar, e eu estava louco pra tomar esse vinho 🙂

 

 

bem bom hein ?!

aquele abraço

CH

Laisser un commentaire

Entrez vos coordonnées ci-dessous ou cliquez sur une icône pour vous connecter:

Logo WordPress.com

Vous commentez à l'aide de votre compte WordPress.com. Déconnexion / Changer )

Image Twitter

Vous commentez à l'aide de votre compte Twitter. Déconnexion / Changer )

Photo Facebook

Vous commentez à l'aide de votre compte Facebook. Déconnexion / Changer )

Photo Google+

Vous commentez à l'aide de votre compte Google+. Déconnexion / Changer )

Connexion à %s