A tal da maionese caseira…

Ola pessoal !

 

O tempo anda curto, mas achei um tempinho pra postar algo legal, e talvez util 🙂

 

Outro dia lembrei que no Br é proibida a venda de maionese caseira em lanchonetes e restaurantes… bom, em Minas é proibido…

 

Fiquei pensando o porque da proibiçao… procurei na internet, e achei a lei. Mas nesse documento ai, nao tem a justificativa, so q é proibido e pronto. « Se é proibido, nao é permitido né Arnaldo… ». Pensei : acabou minha pesquisa aqui uai, ja q é proibido, e sem justificativa, nao da pra argumentar né… caçei mais um cadin e achei um artigo ou outro que falam que a proibiçao se baseia na utilizaçao do ovo cru, que pode « carregar » salmonela e tals… A anvisa mesmo coloca no seu documento sobre higiene o cuidado com o uso de ovo cru… outras cartilhas também falam e tals… o que faz parte da sabedoria popular também…

 

Eu fiz essa procura so pra confirmar isso mesmo, que é proibido o uso da maionese por causa do ovo cru. Na lei, essa ai que achei (se alguem achar outra com as justificativas e puder compartilhar, ia ser legal) nao fala nem mesmo quais sao os ingredientes da maionese… nem o que é maionese (so que é condimento).

 

O negocio é que a maionese é uma emulsao fria, e saber como isso funciona muda um monte de coisa: na pratica culinaria, e como consequencia, (talvez) no ambito legal…

 

Uma emulsao é uma mistura de uma parte aquosa com uma parte « gordurosa » (?) e um agente emulsificante… uma maionese é uma emulsao (normalmente) feita de « gema crua + vinagre + oléo + coisas para dar sabor ». Nessa formula ai da maionese « classica » nos temos :

– fase aquosa : o vinagre, e a agua que tem na gema

– fase gordurosa, (ou seria oleosa ?): o oléo 🙂

– agente emulsificante : a lecithina da gema… e se vc usar mostarda, ela tb…

 

o papel do emulsificante é de « grudar » a agua e o oléo, ja que esses nao se misturam né…

 

Voltando para a lei, se a justificativa da proibiçao da maionese for que a danada leva ovo cru, é so cozinhar o ovo uai ! o ovo cozido nao perde as caracteristicas emulsificantes dele nao 🙂 e voce nem precisa usar so a gema, pode usar o ovo todo !

 

Uma maneira bem legal de fazer isso é :

– faça ai um ovo mollet:

a maneira mais facil (nao é a melhor, mas é a mais simples) é : ferva um bom bocado de agua. Coloque ai um ovo (de preferencia que esteja em temperatura ambiente), assim que (re)levantar fervura, conte 6 minutos… pronto !

Ele fica assim o:

 

foto nao é minha, nem a preparaçao (é mais rapido pegar a foto na internet:)). Observaçao: se o ovo sair direto da geladeira, se tiver muita agua na panela, muitos ovos, etc. o tempo de preparo pode variar… tem que testar ai com o que voce tem pra saber qual o tempo de preparo…

 

A gema começa a coagular nesse ponto ai da foto (a coagulaçao da gema gira em torno de 65-70°C)… segundo a propria anvisa, o alimento é seguro para o consumo à 70-71°C (o que cria varios outros problemas, como o ponto da carne, que pode ser de 55°, 65°, etc… e mesmo para peixe, que o ideal para uma boa textura é 45°C e tals)…

 

Voltando para  receita: retire a casca do ovo… dai é mixa-lo (inteiro mesmo) com o vinagre… para terminar, é so ir colocando aos poucos o oléo e esta pronta a maionese 🙂

 

Essa « receita », nao so essa, mas pra qualquer emulsao ainda pode ganhar inovaçoes… a fase aquosa pode ser qualquer « agua » : caldo (de légumes, carne, etc.), suco, vinagre, e por ai vai…. o emulsificante tb: pode ser gelatina, mostarda, chocolate, até mesmo carne e outros vegetais (com emulsificantes outros que a lecithina)…. mesma coisa para o oléo: azeite, oléo de nozes, de semente de uva, etc.. e claro, vc pode colocar o que quiser : alho, pimenta, mostarda, etc…

 

As variaçoes sao ilimitadas !!!

 

Uma maionese com ovo cru « dura » 24 na geladeira…. essa de ovo cozido pode ser guardada por uns 3 ou 5 dias…. 3 para ficar mais seguro né…

 

Outro motivo para a proibiçao é o fracionamento, e a reutilizaçao de bisnagas (e o que os clientes fazem com elas também e tals). Isso eu entendo, e tem que ser pensado mesmo. Mas da pra fazer. O negocio é fazer um punhado de maionese, e guardar na geladeira. Dai é so servir em potinhos pequenos para os clientes… pra servir na colher mesmo… se sobrar um pouco no potinho, dai tem q jogar fora. Esse « resto » pode até ser aproveitado, mas tem o risco de contaminaçao (a colher que encosta no sanduba, que foi mordido, manipulado e tals). Outra coisa é a vontade de reaproveitar o que nao é aproveitavel.  Bora respeitar o tempo de consumo das coisas que da tudo certo para todo mundo.

 

Espero que o post ajude em alguma coisa. O mais importante é: conhecendo um pouco de « teoria » da pra inovar, ou pelo menos personalizar nossas coisas 🙂 O assunto da emulsao daria também um post maior, e mais cheio de coisas… quem sabe nao escrevo mais depois ?

 

Tenta ai e depois fala que que deu… compartilhe sua « maionese » especial com a gente também! Ah sim, o negocio é mudar o nome da preparaçao: no lugar de « maionese caseira », é colocar emulsao de X (poe ai o nome do oléo, do liquido, ou algo legal) 🙂

 

ah sim, nao esqueça de se juntar a nossa pagina no Facebook… é so curtir ai na direita, ou entrar pelo Facebook mesmo… quando fico sem tempo, acabo postando coisas por la.

Abraços

 

CH

 

ps: achei um projeto de lei meio mal escrito, e fiquei me perguntando se sao todos escritos assim… essa foi proposto pelo o Ratinho Jr lol, as partes que mais gostei foram essas:

 

« Quem não experimentou uma intoxicação alimentar e suspeitou

 

daquela maionese ou aquele ketchup da lanchonete preferida, mesmo com todo o

 

 

asseio de que se orgulha o proprietário? Naturalmente, o cliente desavisado,

depois de várias mordidas em seu lanche, passa o bico da bisnaga sobre o

sanduíche e nem imagina o que pode receber de quem usou antes ou que pode

deixar para o cliente seguinte.

 

(…)

 

Por fim, vale destacar que o presente projeto de lei encontra-se em

 

perfeita consonância com a tendência mundial, em especial nos países mais

avançados, de implantar ações voltadas para a completa erradicação de

quaisquer elementos ou situações que coloquem em risco a saúde da população. »

 

 

Quais paises ? atraves de quais leis ? por exemplo, ninguem tem tentado parar a Monsanto de colocar veneno na mesa 🙂 a lei estaria indo contra também a « tendencia mundial »  do aumento da procura, e do feitio, de produtos caseiros nos restaurantes… se leis sao escritas e aprovadas assim (o que imagino que nao, deve existir um cadin de pesquisa antes de aprovar e tals), estamos lascados ! 🙂

Laisser un commentaire

Entrez vos coordonnées ci-dessous ou cliquez sur une icône pour vous connecter:

Logo WordPress.com

Vous commentez à l'aide de votre compte WordPress.com. Déconnexion / Changer )

Image Twitter

Vous commentez à l'aide de votre compte Twitter. Déconnexion / Changer )

Photo Facebook

Vous commentez à l'aide de votre compte Facebook. Déconnexion / Changer )

Photo Google+

Vous commentez à l'aide de votre compte Google+. Déconnexion / Changer )

Connexion à %s